A CÚRCUMA NO COMBATE E PREVENÇÃO DO CÂNCER

0
447

No meio da discussão sobre o mal do século, o Câncer sem dúvida está no topo dos medos da humanidade. É importante que tenhamos em nossas mentes, a preocupação constante com o perigo desta terrível doença. Hoje, a coluna Saúde & Bem-estar traz um artigo cheio de boas informações sobre o assunto. E em comemoração ao outubro rosa, caiu como uma luva essa temática trazida pela Dra. Luciana Santana, nutricionista da clínica Albuquerque.

curcuma-1-640-427
“A cúrcuma
(Curcuma longa L.)
pertence à família Zingiberaceae, originária do sudeste asiático. O interesse econômico da cultura está baseado nos principais componentes qualitativos dos rizomas: corante curcumina e óleos essenciais. Utilizada já desde a antiguidade na medicina e gastronomia do oriente, a cúrcuma vem se tornando importante, atualmente, no combate à vários problemas de saúde humana, podendo se destacar alguns efeitos de seus componentes como: anti inflamatório e antioxidante. (Balbi-Penã & Schwan Estrada et al, 2006).
O efeito do extrato bruto de células de Curcuma zedoaria no sangue periférico e a
progressão do tumor em ratos C57BL / 6J ratinhos injetados com células de melanoma
murino B16F1. A terapia intraperitoneal mostraram um aumento significativo na contagem
total de glóbulos brancos e vermelhos do sangue, uma diminuição no número de células
peritoneais e redução do volume do tumor, ao passo que a administração oral revelou um
aumento notável só na contagem total de leucócitos . Estes resultados contribuem para
avaliar a importância de tratamentos alternativos que empregam compostos fitoterápicos
contra a progressão do tumor e sua possível imunomodulação (Carvalho, FR. et al, 2010)
Os estudos com os agentes antimutagênicos foram iniciados nos anos cinquenta,
porém recentemente é que o interesse de diversos grupos de pesquisa, distribuídos por
todo o mundo, têm se concentrado na identificação de agentes antimutagênicos,
principalmente os de origem natural. A identificação de agentes antimutagênicos e/ou
anticarcinogênicos em alimentos é indispensável e extremamente importante na busca de
estratégias para a prevenção do câncer, por meio de modificações do hábito alimentar
(Wargovich, 1997).
Foi demonstrado o efeito de prevenção / protecção da curcumina na progressão do
cancro colorectal associada à colite, que estava correlacionada com uma
imunorreactividade reduzido de SS-catenina, um não-modificação da expressão de p53,
uma redução dos níveis de citocinas pró-inflamatórias e uma diminuição da sobre-expressão da proteína inflamatória. (Villegas I, 2011)
A curcumina também exerce um forte efeito antioxidante e antitumorais através
da regulação da transdução de sinal em múltiplas vias de sinalização. A curcumina mostrou efeito inibidor muito forte na NF-kB via. Verificou-se que a curcumina pode inibir tanto a activação constitutiva e induzível de NF-kB e de intensificar a apopto se induzidapor TNFa associada com a diminuição da expressão de Bcl-2 e Bcl-xL e a expressão aumentada de pro-caspase-3 e pro-caspase-8 (YIWEI LI, 2014)
CONCLUSÃO
Após análise dos artigos apresentados, foi possível organizar a ação da cúrcuma
principalmente no estágio da promoção cancerígena atuando como inibidor contra células
HT29 e inibidor da produção de PGE2 em leucócitos. Com os estudos organizados focando nos cânceres de próstata, colón e reto, pode-se interpretar com mais precisão a
forma como a cúrcuma atou no combate ao câncer, tornando possível a identificação
inequívoca da ação inibidora às células HT29 e PGE2. Reconhecendo os principais
estudos voltados a essas atuações do cúrcuma foi possível organizar e analisar os resultados. Com os resultados obtidos dos estudos, fica clara a possibilidade obter mais

eficiência no tratamento contra o câncer com aumento de até 52% da apoptose das células
cancerígenas. Com esse aumento significativo ficam comprovados os benefícios, concomitante com os efeitos do composto em vias moleculares envolvidas na proliferação
celular, antimutagênico, antioxidante e anti-inflamatório em diversos tipos
de cânceres”
REFERÊNCIAS:
ARAÚJO; M.C.P et al. Effects of turmeric and its active principle, curcumina, on bleomycin-induced chromosome aberrations in Chinese hamster ovary cells. 1999.
MINISTÉRIO DA SAÚDE. INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER. COORDENAÇÃO
NACIONAL DE CONTROLE DE TABAGISMO-CONTAPP. “Falando Sobre Câncer e Seus
Fatores de Risco”. Rio de Janeiro, 1996 entre outros…